>

Restauração prateada ou da cor do dente?!


“Doutora, eu queria trocar minha obturação prateada por uma da cor do dente...”

É muito comum ouvirmos de nossos pacientes o pedido de troca de restaurações de amálgama (que é a restauração prateada) por uma restauração de resina composta (que é a restauração da cor do dente). Em alguns casos há realmente a indicação devido à infiltração da restauração, tendo recidiva da cárie, porém, a grande maioria pede a troca apenas por motivos estéticos. OK... ok... muitos termos novos de uma só vez! Restauração? Amálgama? Resina composta? Infiltração? Recidiva? Bora explicar a fim de que você possa escolher o melhor para você!

O que é restauração?

Muitos a chamam de obturação, mas o termo correto é restauração, afinal iremos restaurar/ devolver a forma e função original de parte do dente ou de todo o dente com algum material de escolha.

Restauramos um dente quando ele quebra/ fratura ou por cárie ou por estética.

 No caso de fratura/quebra removemos as bordas de esmalte sem suporte de dentina, tratamos o dente e então restauramos. No caso de cárie, removemos todo o tecido cariado do dente, trataremos a superfície do dente e então restauramos. No caso de estética, pode ser ou a troca de uma restauração de metal por uma de material estético, neste caso, removemos a restauração antiga e com isso acabamos removendo um pouco de estrutura dental, outro caso de restauração por estética é quando temos espaços entre os dentes (diastemas) e queremos fechá-los ou dentes desproporcionais (imagem abaixo)...



As restaurações podem ser: diretas ou indiretas. Direta, é quando é feita diretamente na boca e os materiais a serem utilizados são: amálgama, resina composta ou ionômero de vidro. Indireta, é quando preparamos o dente, moldamos, mandamos essa moldagem para um laboratório, o laboratório fará a restauração e nos manda ela pronta, cimentamos a restauração no dente. Restaurações indiretas podem ser de: metal, resina ou porcelana.
(a imagem ao lado é de uma restauração indireta de porcelana em um modelo e gesso)

Independente de qual é o seu caso, procure a orientação de um profissional.

Mas no post de hj falaremos apenas das restaurações diretas de amálgama e resina composta.



Que tipo de restauração é a melhor?

Restaurações de amálgama são muito resistentes e relativamente baratas. Entretanto, devido à sua cor escura, são mais aparentes, e não são utilizados em áreas muito visíveis, como nos dentes anteriores. Com o passar do tempo essas restaurações sofrem “corrosão” e esses produtos da corrosão são depositados na interface dente/ restauração, proporcionando um melhor vedamento do dente, dificultando infiltração e cárie. Os íons metálicos do amálgama podem penetrar nos túbulos dentinários fazendo com que o dente fique manchado, com um aspecto de cinza. Por se tratar de um metal, conduz ao dente com facilidade os estímulos de calor, frio e eletricidade. São restaurações que tem uma durabilidade muito grande. Apenas indico a troca desse tipo de restauração em casos de: cárie ou quebra ou quando o paciente não consegue se relacionar por vergonha de ter uma restauração metálica na boca.

Quando surgiram as resinas, elas eram materiais sem muita resistência mecânica e por isso não eram adequadas para suportar a grande carga mastigatória que incide nos dentes posteriores. Atualmente a resistência mecânica das resinas é excelente e ainda apresentam a vantagem de serem adesivas (colam no dente) o que diminui a probabilidade do dente fraturar, em relação ao uso do amálgama (metálico) que não é adesivo. Podem ser utilizadas em dentes anteriores e posteriores. O grande problema deste material é alteração de cor ou do dente ou do próprio material e quando há alteração os pacientes querem realizar a troca da restauração. Apenas indico a troca desse tipo de restauração em casos de: cárie ou quebra ou quando o paciente não consegue se relacionar por vergonha de ter uma restauração com cor alterada na boca.


No momento da troca de uma restauração, é necessário um desgaste maior do dente?

Não necessariamente. Porém, ao removermos a restauração antiga acabamos por desgastar um pouco de dente sadio. No caso da troca de uma restauração de amálgama de um dente que não esteja cariado, normalmente a queixa do paciente é o aspecto acinzentado deixado pelo amálgama, neste caso removemos uma grande quantidade de tecido dental sadio. A troca melhora muito o problema estético sem, contudo, resolvê-lo completamente. Essa mancha provocada pelo amálgama não sai com clareamento dental.

Uma restauração em resina tem a mesma durabilidade de uma restauração em amálgama?

Não. Isso ocorre porque quando aplica-se a luz para a resina endurecer ela contrai, e essa contração faz com que ela possa sofrer infiltração mais rapidamente do que o amálgama. Uma restauração em resina realizada em técnica adequada tende a durar em torno de 8 anos, já o amálgama, também realizado de forma adequada e com correta indicação pode durar até 15 anos. Entretanto, o amálgana mal indicado pode proporcionar fratura do dente.

Existem, na boca de pacientes, restaurações de amálgama, de ouro e de outros metais em bom estado e com desempenho funcional perfeito há mais de vinte anos, assim como existem restaurações em mau estado feitas há pouco tempo. As técnicas restauradoras estéticas atuais são relativamente novas se comparadas com a do amálgama e a das restaurações metálicas indiretas. Todavia, já temos acompanhamento clínico com excelentes resultados de restaurações estéticas. A durabilidade de uma restauração depende de uma série de fatores, alguns diretamente relacionados com o cirurgião-dentista e outros, com o paciente.

Como é feita a manutenção das restaurações de resina?

A manutenção de qualquer tipo de restauração é realizada com higienização adequada e visitas periódicas ao dentista para avaliar a condição das restaurações. Existe uma vantagem na manutenção da resina que é o fato de que esta pode ser reparada sem que haja necessidade de remover toda a restauração. Já o amálgama, se necessitar de reparo, toda a restauração tem que ser removida e trocada, mesmo que ainda esteja em boas condições.

Bom, espero ter esclarecido de alguma forma alguma eventual dúvida a esse respeito. Mas ficam aqui alguns dos meus conselhos:

  • Pra que mexer em time que tá ganhando?!
  • Na dúvida, consulte seu dentista!

Ahhhh... lembre de deixar aqui em baixo o seu comentário, sugestão de post ou dúvida e nos ajude a enriquecer ainda mais este tema! Fico grata com sua participação!

34 comentários:

George Nunes Bueno disse...

Pra que mecher em time que está ganhando? ehehehe
Beijão

Tarsila Santiago disse...

Tá bombando, hein gatona!
bjocas!

Anônimo disse...

Olá pois entao, vejo muitos deefenderem a amalgama, mas para mim só defendem por esse material ter baiixo custo , pesquisas dizem que o amalgam é um veneno para saude. Ou será que não?
Grato

Bruno Maximus disse...

Juliana, me esclareça uma dúvida, meu dentista disse, que hoje em dia existem resinas compostas que atingem a mesma durabilidade da amalgama. Isso é verdade? quais são boas marcas de resinas compostas para que eu possa pedir ao meu dentista?

Juliana de Sá disse...

Olá Bruno, obrigada por participar das "discussões" em nosso blog.
Seu dentista está certíssimo, as resinas de hj em dia são excelentes! Os materiais na área de odontologia estão mto aperfeiçoados, e com a qualidade melhorada a cada ano... são mtas as novidades!
Mas vale lembrar q mesmo tendo em sua boca um material excelente, isso não o isenta de uma higienização bucal de qualidade... estará em suas mãos a longevidade de sua restauração!
Com relação a indicação de uma marca de resina composta, acho antiético isso. Procure por um dentista em q vc confie e abra a boca e feche os olhos...rs
Espero tê-lo ajudado... qq coisa, estamos aí para mais esclarecimentos...

Bruno Maximus disse...

Obrigado Juliana, sou leitor assíduo do seu blog. Abraços

leticia disse...

todos os meus dentes que sâo restaurado sâo com amálgamas já uso desde criança e nunca afetou minha saúde eu acho antônio que essa pesquisa que vc viu é enganosa abraçosss ***

Anônimo disse...

a de resina pode durar menos mas é muito mais bonita

Geisa disse...

poxa muito legal seu blog Juliana.. me esclareceu várias dúvidas.. mais deixa eu pergunta uma coisa... eu tenho várias restaurações em amálgama e qria muito troca-las pela de resina mais dependendo da restauração, da profundidade dela, ela pode até virar um canal????

Quel disse...

Apenas... OBRIGADA! Vc conseguiu esclarecer uma dúvida cruel que eu tinha há muito tempo.

Tatiana disse...

Olá
Fiz a troca das minhas restaurações e um dente ficou hiper sensível, isto já tem uns 40 dias e desde então não como com o lado esquerdo(lado do dente que doí),minha dentista falou que ele doia pq ainda não cicatrizou, isto qdo fazia uma semana da restauração nova, agora já fazem 40 dias e nada será q vou ter q fazer canal? Estou morrendo de medo! OBRIGADA Tatiana

Auri disse...

Olá boa tarde!
Estou com uma amálgama no ultimo dente ,sinto doer ,sempre quando tomo ou como algo quente ou frio!

Meu médico,disse que era apenas uma infiltraçao,e entao restaurou ,esta parte.

Outro dia voltei la porque ainda continuava a me doer ,so que dessa vez,entre um dente e outro,ele disse que quando fez o raio x ,nao dava para ver porque essa parte fica muito escondida,e entao ,ele restaurou esta outra ponta do dente também.

Nesse caso agora estou com as duas pontas do dente restauradas com resina(massa branca) e no meio ainda continuo com amálgama,e ainda continua a me doer ,quando ,com o ,quente ou frio!

Cheguei a ir no meu dentista pela 3ª vez ,desta vez ele disse que não seria bom mexer no meu dente mais uma vez,sabendo que eu ia viajar depois de dois dias,ele me receitou a comprar amoxilina+acido clavulanico 875 +125 mg(comprimidos revestidos),para que eu trouesse comigo para Noruega,pois se caso continuasse a doer ,eu podia tomar este antibiotico.Comecei a tomar faz tres dias,antes desse medicamento estava tomando ibuprofeno 600,
também receitado por ele, mas como nao resultou,acabei com começar a tomar o amoxilina.

Minha dúvida é ,se realmente, sabendo que meu dentista,não quiz trocar a restauraçao,porque não achou necessario ,pois amálgama é sempre mais resistente do que a resina,mas talvez se ele tivesse trocado ,provavelmente teria que ter sido realizado um canal,como ele mesmo me eplicou!

Estou com dúvidas e com muito medo de ir em um dentista aqui na Noruega, pois se meu médico disse que não seria bom mexer mais no meu dente,mas também se esse dente está precisando fazer canal...

Realmente sinto me confusa,pois o meu médico disse que quando fez o raio x,ele disse que não era necessario fazer a retirada da minha velha restauraçao,pois ele via a restauraçao perfeita dentro do meu dente!

Eu não entendo o que esta acontecendo com meu dente,por favor,se puder esclarecer este problema ,eu ficaria muito grata em saber o que Tatiana ,acha em relaçao ao meu dente!

Auri disse...

Espero ter uma resposta,com muita atençao!

Muito Obrigada e Parabéns pelo seu blog!

Juliana de Sá disse...

Qdo puder, entre em contato comigo através do skype: juju.ss para conversarmos. Até breve!

Anônimo disse...

Resina ou amálgama - muito boa a explanação sobre restaurações dos dentes. Obrigada

Karina Santana disse...

Tenho duas restaurações de amálgama no lado esquerdo (superior e inferior) e hoje fiz duas restaurações no lado direito (tb superior e inferior) com resina, esteticamente falando não tem nem o que questionar, realmente é mais bonito, porém, meu dentista anterior sempre ressaltou a durabilidade das mesmas e por isso usou a amálgama. No entanto, meu atual dentista quer trocar a amálgama dos dois dentes pela resina na semana que vem. Depois de ler essa matéria, fiquei na dúvida, trocar ou não? Há a possibilidade de apenas "encapar" os dentes que já tem amálgama, sem ter que trocá-las, ou seja, apenas a parte superior do dente ficar com a resina?

Grata

Karina

Anônimo disse...

Eu gostaria de saber se tem como colocar apenas uma camada de resina nos dentes que estão restaurados com amálgama? Espero respostas.

Anônimo disse...

Olá , só para reforçar o comentário do colega sobre o perigo da amalgama, fiquem sabendo que amalgama tem mercúrio em sua composição, metal pesado altamente tóxico que pode causar vários problemas de saúde, como problemas intestinais, renais, de raciocínio e memória,inclusive má formação fetal.
Em alguns países como o Japão o uso de amalgama foi proibido devido a presença do mercúrio.
Demorô para este veneno ser proibido no Brasil também. Na minha opinião a resistência em deixar de utilizar a amalgama é um crime e um desrespeito ao ser humano, pois nenhum dentista alerta os clientes sobre os efeitos do mercúrio no organismo. E depois ninguém entende o porque do número de pessoas com mau de alzheimer tem aumentado assustadoramente nos últimos anos.
Fica o alerta.

Juliana de Sá disse...

Olá "anônimo", obrigada por participar do blog e de nos dar a oportunidade de enriquecer a discussão!
Sou da seguinte filosofia: se não tem problema, não mexa! Se tem problema troque! Não sou a favor dos "remendos"...

Juliana de Sá disse...

Olá "anônimo II" muito obrigada por sua contribuição!

DENILZA disse...

OBRIGADO PELAS INFORMAÇÕES. ESCLARECI MUITAS DÚVIDAS. VALEU!!!!!

Vanda disse...

Joia joia!
Bem explicado.
bjjocas Amo!!!

Vanda disse...

Joia joia!
Bem explicado.
bjjocas Amo!!!

Anônimo disse...

Estou trocando minhas obturações em amálgama, por estética e renovar, pois já tem mais de 18 anos e estou surpresa com que encontramos por debaixo, infiltrações, cárie na raiz. Estou fazendo um análise bem minunciosa além de estético. Estou satisfeitíssima...

Anônimo disse...

Juliana, adorei seu blog.
Se puder responder a mais uma duvida que é a minha, agradeço muito...
Fui a uma dentista para consulta de rotina, ela encontrou duas caries, uma ela fez e está muito sensível (quente e gelado fica insuportável). A outra ela disse que nem precisava de anestesia pq era bem pequena entre dois dentes, disse ela para a assistente: "nossa! tá igual berinjela" entendi que lá dentro a carie fosse grande, detalhe eu não sentia nada naquele dente, daí ela fez uma restauração escura que tomou os dois dentes, mal consigo encontrar um pedacinho do branco do meu dente em cima, após a restauração tb ficou sensível, mas agora se eu sugar saliva por entre eles ou mastigar qualquer por mais mole que seja, é uma dor insuportável, como se enfiasse um objeto dente á dentro.
Isso seria uma restauração mal feita? um caso de canal? infiltração? se for canal é muito injusto, era só uma manchinha no dente, nem eu consegui ver. E se for caso de canal pq isso apareceu depois de um ano que fez a restauração?

Devo não voltar a essa dentista ou isso acontece mesmo?

*Sou Mônica

Juliana de Sá disse...

Ei Monica, mto obrigada por sua confiança em nosso blog, mas sinto desapontá-la por nao poder auxiliar com minha opiniao, pois o exame clínico é soberano em qualquer diagnóstico.
Sugiro que converse com sua dentista e peça mais esclarecimentos ou que procure um outro dentista de sua confiança para ter uma segunda opiniao.
Muitíssimo obrigada por sua contribuiçao para o blog!
Abraço

Anônimo disse...

Sou novato aki, e quero dizer q adorei seu blog, Juliana!
Por favor, preciso q vc me tire uma dúvida:
Estou com uma restauração enorme com amálgama e meu dentista falou q há uma infiltração, e ele ainda sugeriu fazer a troca da amálgama pela resina. Será q existe a opção de preservar a amalgama e "vedar" a infiltração com a resina??
Para o dentista ter uma análise perfeita do problema, nesse caso, é necessário fazer o exame raio-X??
Penso eu, que se for retirada toda a amálgama, e claro, parte do dente sadio, irá precisar fazer canal, pois lembro q a cárie nesse dente era muito profunda.
Poderia me dar uma opinião, por favor, Juliana??
Desde já, muuuuitíssimo obrigado!!!!

Juliana de Sá disse...

Ei anônimo, seja muitíssimo bem-vindo ao blog!
Peço desculpas pela demora em responder e espero que ainda possa ajudá-lo.
Sempre dizemos que "o exame clínico é soberano"! Fica complicado opinar quando não posso examiná-lo e quando não tenho acesso ao exame radiográfico.
Mas como eu disse, se há cárie, há a necessidade de troca e nos dias de hoje o material de escolha é a resina, nos casos de restaurações diretas (feitas diretamente na boca) ou porcelana ou cerômero ou metal (nos casos de restaurações indiretas, que são mandadas pra um laboratório confeccionar). Quem vai definir a técnica (direta ou indireta) será seu dentista.
Se com a remoção da cárie houver exposição pulpar ("der canal") é pq tinha que dar... é pq PROVAVELMENTE o processo carioso já atingiu e contaminou a polpa ("nervo").
Aconselho conversar com seu dentista.
Abração e fico grata com sua participação!

Anônimo disse...

restaurei meus dentes com amalgama e todos deram problema. depois restaurei com resina e ja faz uns 13 anos e nunca tive problema.

Juliana de Sá disse...

Então, o amálgama requer um pouco de habilidade na sua confecção: as paredes do dente devem ter uma angulação que favoreça a estabilidade da restauração, não pode haver esmalte sem suporte dentinário, o tempo para escultura dele é limitado... são vários os quesitos a serem atendidos...
Em condições adequadas, os pacientes "portadores" de amálgama as tem por tanto tempo que até perdem a conta... Confio muito na durabilidade do amálgama!
Mas ele não é eterno... requer cuidado!
Bom, o que quero dizer mesmo é o seguinte, podemos ficar aqui fazendo conjecturas, tipo:
1- o amálgama durou pouco por falha na técnica pelo dentista.
2- o amálgama durou pouco pq o paciente não mantinha uma boa higiene oral, e houve infiltração,
3- A resina durou mais pq o dentista domina a técnica e as resinas melhoraram muito com o passar dos anos.
4- A resina durou mais tempo, pq com o passar do tempo, o paciente melhorou suas habilidades na manutenção de uma boa higiene oral.

Viu, essas são algumas das hipóteses possíveis...
Mas hj ambos são excelentes materiais restauradores, cada um tem suas indicações e contra-indicações, e se elas forem respeitadas terão a durabilidade esperada!

Lourivaldo R Lopes disse...

Obrigado ajudou muito

Amanda Tardelli disse...

Oi pessoal! Minha dentista me convenceu a trocar minhas restaurações de amálgama pela.de resina e me arrependi. Meus dentes estão super sensíveis e estão me incomodando muito na hora de comer. Pelo que estou passando hj, se pudesse voltar atras não faria a troca...

Amanda Tardelli disse...

Oi pessoal! Minha dentista me convenceu a trocar minha restaurações de amálgama pela de resina. Hoje meus denes estão super sensíveis, não consigo mastigar confortavelmente. Pelo que estou passando hoje, se pudesse voltar atrás não faria a troca...

Anônimo disse...

tirei muitas duvidas, obrigado!

Postar um comentário